como-o-trabalho-em-excesso-pode-estar-prejudicando-sua-saude-20190816140452

Como o trabalho em excesso pode estar prejudicando sua saúde

O trabalho é importante e necessário, mas, como em todas as coisas, o excesso de atividades físicas ou intelectuais pode prejudicar a sua saúde.

É até aceitável fazer hora extra de vez em quando para terminar um projeto ou lidar com uma crise, mas o trabalho excessivo constante pode ter impactos extremamente negativos em sua saúde, felicidade e qualidade de vida. Fazer horas extras no trabalho, se tornou comum para muitas pessoas.

É uma daquelas coisas que todo mundo sabe que tem consequências negativas, mas pouca gente se importa até que a saúde esteja prejudicada. Com isso em mente, separamos a seguir, alguns efeitos negativos comuns do trabalho excessivo para que você entenda a extensão das consequências que essa prática pode trazer para o corpo.

Trabalho em excesso prejudica a quantidade e a qualidade do sono

É consenso entre a comunidade científica que o excesso de trabalho pode impactar negativamente o seu sono, seja esse efeito causado pelo estresse resultante, por muitas horas na frente da tela do computador ou simplesmente por não ter tempo suficiente para relaxar.

Isso pode nos levar a criar o que é chamado de “dívida de sono”, o que é ficar devendo para um banco.

A dívida de sono pode ser um problema crônico que aumenta o risco de obesidade, doenças cardíacas, derrame e diabetes.

Mesmo a curto prazo, a falta de sono pode ter efeitos significativos no hipocampo, uma área do cérebro envolvida na criação e consolidação da memória.

O fato é que a maioria de nós precisa dormir mais do que pensamos. Especialistas estimam que apenas 1 a 3% das pessoas podem realmente dormir apenas cinco ou seis horas por noite sem sofrer com o desempenho.

Trabalho em excesso faz mal para o coração

Um estudo extenso com mais de 10.000 funcionários públicos em Londres descobriu que os profissionais burocráticos que trabalhavam mais de 40 horas por semana tinham um risco 60% maior de desenvolver problemas relacionados ao coração do que aqueles que não cumpriam cargas tão pesadas.

Exemplos de problemas relacionados ao coração incluem morte por doença cardíaca, ataques cardíacos não fatais e angina, uma condição causada pelo baixo suprimento de sangue para o coração.

Trabalho em excesso aumenta a chance de desenvolver diabetes tipo 2 em trabalhadores de baixa renda

Em 2015, um grupo de pesquisadores investigou o papel das longas jornadas de trabalho como fator de risco para o diabetes tipo 2. Eles descobriram que a ligação entre mais horas de trabalho e diabetes tipo 2 é aparente em indivíduos nos grupos de baixo nível socioeconômico.

A pesquisa identificou que isso era verdade independentemente da idade, sexo, obesidade e atividade física. No geral, essas descobertas mostram o quão forte é o relacionamento que o estado mental de uma pessoa pode ter na saúde física.

Trabalho em excesso prejudica suas costas e pescoço

Repetição nem sempre é uma coisa boa. Um estudo na revista Occupational & Environmental Medicine, de Londres, descobriu que quanto mais horas as pessoas trabalham, maior o risco de dores nas costas.

Para as mulheres, a dor tende a aparecer no pescoço, enquanto que, para os homens, é na parte inferior das costas. É um sinal comum de estresse causado pela tensão muscular. Se você está realmente lutando com o estresse do trabalho excessivo, a fisioterapia pode ajudar, não importa se a sua atividade é física ou intelectual, a fisioterapia permite fortalecer o corpo e melhorar problemas corporais pré-existentes.

Além disso, se possível, reduza às suas horas de trabalho para evitar as consequências descritas neste artigo.

Então, se você deseja descobrir outras formas de como a fisioterapia e acupuntura pode ajudar a lidar com o esforço causado pelo trabalho, acesse a nosso site no link a seguir: www.soniatakara.com.br e conheça nossos serviços. E se tiver alguma dúvida, entre em contato pelo telefone 11 4777-9311!

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email
Fechar Menu